Brasil: Síncrotron Sirius

Oito empresas integram-se ao esforço para desenvolver componentes da fonte de luz síncrotron Sirius

A FAPESP e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) anunciaram o resultado de uma seleção pública para o desenvolvimento de componentes do Sirius, a nova fonte de luz síncrotron do Brasil que deve começar a operar em 2018. Oito empresas foram selecionadas para superar 13 desafios científicos e tecnológicos relacionados à construção do anel, que será quase seis vezes maior que o atual, em operação desde 1997.

 

Com 518,4 metros de circunferência, a fonte será instalada num prédio de 68 mil metros quadrados cuja estrutura lembra, nas dimensões e no formato, um estádio de futebol. Caso consigam cumprir os desafios, as empresas se qualificarão como fornecedoras do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), responsável pela construção e pela operação da fonte. “A intenção do edital não é apenas a de ajudar a desenvolver o Sirius, mas permitir que empresas inovadoras do estado de São Paulo e suas equipes de pesquisa ampliem seu leque de produtos tecnológicos, criando uma cadeia de fornecedores em condição de atuar no mercado global”, afirma Douglas Zampieri, professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e coordenador de área de pesquisa para inovação da FAPESP.

 

Leia mais:

Fonte: FAPESP

© 2018 ABCI - Associação Brasileira Científica para a Inovação

SIGA-NOS:

  • w-facebook
  • Twitter Clean